sábado, fevereiro 09, 2008

Ressaca

Trinta

Onde estão agora?
Em que vala funda se esconderam
a vossa raiva
a vossa força
o sorriso terno e amargo
da manhã clara do vosso regresso?

Onde estão
a praça do Povo
o grito a plenos pulmões
o rasgar da mordaça.

Lembram-se?

Era para sermos iguais
igual a água a fome dividida

Onde estão agora?
O meu peito estala
já não vos quero abraçar.

Que é das palavras
dos gestos
do punho?

Vossa oferta amiga
nos longos anos
abrindo caminhos
emprenhando tantos ventres de esperança

Ou era tudo apenas um disfaçe?
Jornada ténue
a nossa vida acabada em vosso proveito

Carlos Ferreira (2000)-- Ressaca, Porto, pp.49-50
Enviar um comentário