quinta-feira, fevereiro 25, 2010

Que Viva Zapara Tamayo


Estou de luto por Orlando Zapata Tamayo, morto em combate pela liberdade de expressão. Em Cuba. Tinha 42 anos, e iniciou uma greve de fome para protestar contra as condições da sua detenção e da forma como o regime trata os seus detractores. A sua pena, em principio leve, fora dilatada para um horizonte de 30 anos.
Nenhum, repito, nenhum, regime político tem o direito de esmagar assim aqueles que o críticam. E nenhum poder pode ser legitimado com o silêncio brutal das vozes que não entram ou desafinam no coro orquestrado.
Também estou de luto pelo silêncio de quem deveria ter erguido a voz mais cedo. Chefes de Estado que outrora empunharam bandeiras de liberdade, agora remetem-se ao silêncio, em nome de outros interesses menores.
Porque nada é mais importante do que uma vida.
Estou de luto com a mãe de Orlanda Zapato. E com todos os que partilham a sua dor.
Estou de luto pela morte de Zapara Tamayo. O mundo ficou mais pobre e mais monocórdico.
Ou talvez não... os Heróis sobrevivem ao seu desaparecimento. Tornam-se os avatares da esperança, e inscrevem-se para sempre no horizonte dos nossos sonhos maiores.
Por isso são tão perigosos, e tão necessários.
Enviar um comentário