quarta-feira, março 03, 2010

Elefantes e rinocerontes odeiam-se de morte?

Durante uma manhã curta -- 12 horas de um sono profundo com sonhos estranhíssimos ao longo da madrugada -- pensei : tanta coisa, e acabou. Finito. Punto. Já está, e pronto. Adeus até nunca. E agora? Digo, um projecto de investigação histórica de alguns anos, que culminou numa tese de mestrado que chegou a muito bom porto, sob o titulo :

«Do odio natural que ha antre hos Elephantes & hos Rhinoçerotas» ou o Poder do Mito nos Alvores da Expansão Portuguesa.

Mas à tarde, a minha querida Rosarinho, da Oficina do Livro já estava a telefonar-me para saber como tudo correu, a dar os parabéns e a perguntar pelo «nosso André» a nova aventura deste «herói» juvenil, agora com espaço para crescer.
E à noite, entre conversas múltiplas, com presentes e distantes, (louvado seja o skype e tudas as comunicações similares), alguém referiu o «vazio» inevitável que se sente após o fim de uma etapa tão intensa, apaixonante, exigente mas também tão insuportável por vezes.
Senti esse vazio, sim. Mas logo a seguir, o resto da minha irrealidade real tom0u as rédeas da vida. Tenho vários livros à espera. E um já em bom andamento. Vivo e convivo com gente que adoro. Próximos mesmo os que andam longe. Várias conferências agendadas em torno de vários livros publicados. Do António Variaçoes, em Silves, à Maria Adelaide, no Conde de Ferreira, no Porto. Não me sobra espaço mental para vazios de alma desse teor. Não é que não os sinta. Não tenho é tempo para lhes dedicar.
Por outro lado, como disseram os ilustres membros do júri, este trabalho foi um ponto de partida, e não um ponto de chegada. De certa forma, fico muito aliviada. Quero dizer, por continuarmos juntos. Eu, o elefante, o rinoceronte e o unicórnio. Ainda não sei é como ou por onde. Eles me levarão. Afinal, por isso é que são fantásticos.

Imagem: «Luta entre o elefante e rinoceronte, inimigos naturais»(séc. XIV), Saltério da Rainha Mary retirado de The Medieval Bestiary, http://bestiary.ca/manuscripts/manugallery973.htm#
Enviar um comentário