sexta-feira, fevereiro 24, 2012

A Floresta dos lilazes

O caminho de volta da floresta dos lilazes deve cumprir-se num silêncio imaculado sobre o dorso de uma tartaruga que o cumpre passo a passo, na medida do nem mais, nem menos.
É uma estrada que cruza a solidão de meses sem nome de tempo, de horas sem medida que as defina, e de instantes que pesam eternidades, quando o destino já está tão próximo que é preciso fechar os olhos e algemar vontade para não ceder ao desejo de uma prematura e desafortunada libertação.
Da floresta dos lilazes deve regressar-se com todo o cuidado para podermos voltar sempre que nos chame.

créditos imagem: Malmequer



Enviar um comentário