quarta-feira, junho 27, 2012

Cozinhar com excelência. Em português.

Uma salada muito simples. Tomate, um fio de azeite, flor de sal e orégão. Peixe grelhado no ponto. Pão de cereais. Três batatas cozidas ao vapor, polvilhadas de salsa picada. O jantar de ontem, tão simples, pôs-nos a falar sobre alimentação e sua simplicidade essencial: na essência, não há transcendência. O ponto certo do calor, o tempo exato de o aplicar, o tempero perfeito. E tudo português. O melhor azeite do mundo qual é? O melhor sal do mundo onde se encontra? E o peixe atlântico ao pé da porta, nas águas ainda frias que banham as nossas costas?
A conversa, longa, saltitante, hilariante por vezes, preencheu todos os momentos de saborear.
Sugestões:
Orégãos: comprem-nos aos molhos, na praça, NUNCA em pacotinhos de supermercado. Ou então, na Ervanária Rossil que os conserva na perfeição e vende mínimo 100 grs. que se aguentam muito bem e muito tempo.
Azeite: do produtor, de preferência. Visite o portal do Azeite, com noticias, prémios de excelência e marcas, região a região.
Sal: grosso, marinho, ou flor de sal de Castro Marim (a Vida Portuguesa entre outras, vende e envia à cobrança em embalagens lindíssimas, veja o blogue).
Sugestão adicional, uma visita por um blogue muito bem feito, com excelentes referências à dieta mediterrânea: Comer bem até aos cem.
Enviar um comentário