segunda-feira, agosto 06, 2012

Timóteo has a lovely sis

Quando o apanhámos na rua, faz agora dois anos, a última coisa que nos preocupou foi saber a «marca» dele. Aliás, era dificil, porqu a gloriosa pelagem que lhe ornamenta o pescoço estava ausente. Tinha, sim, um pescoço pelado e com marcas de coleira de picos. E medo. E uma angustia sem tamanho. Abrimos-lhe os braços, a casa, a vida, sem condições.
Levou vacinas, levou chip, foi registado com nome próprio, apelido e a designação de «raça indefinida». Depois um amigo nosso declarou, com base no testemunho do seu amigo veterinário, que o Timóteo era cão dos Pirinéus. Depois outro amigo disse a mesma coisa, analisando-o muito bem. Uma senhora com quem me cruzei na rua, afirmou o mesmo. Como sabia ela? «Tive um, era igual».
Whatever.
Agora encontrámos a sua irmã gémea, abraçada pela maravilhosa Candace Parker, num cartaz da PETA. «Se não é capaz de transformar o seu cão num casaco, não use peles».
Clapclapclapclap.

Entretanto o cão da atleta olímpica, a cadela aliás, foi também recolhida. No site dela, lemos que é um cruzamento entre São Bernardo e Golden. Como são iguais, subscrevemos a mistura genealógica para o nosso Timóteo. Mero detalhe, entenda-se. Em ambos os casos, de tristíssimas histórias de abandono, surgiram amores para a vida e uma felicidade, uma cumplicidade, que não se descreve por palavras.




Enviar um comentário