quinta-feira, outubro 03, 2013

Elegias do Amor e do Ódio

Regresso, em breve, às minhas Oficinas de Escrita, desta vez com um propósito (ainda) mais xamânico. O de soltar gritos, libertando palavras «entaladas na garganta», para se poder seguir em frente, sem mais pesos do que os que, quotidianamente, temos de carregar. Para minha alegria, os frequentadores/as de anteriores Oficinas já se estão a inscrever nesta, o que para mim, quer dizer muito. E para minha, nossa alegria, pelo menos três já estão a escrever o livro das suas vidas, que começaram no decorrer de uma das nossas Oficinas de escrita autobiográfica, A minha vida dá um livro.

O que se passará então no decorrer das Elegias do Amor e do Ódio?
Marc Chagall, A queda do anjo, 1923-1947 (detalhe), óleo sobre tela, Basiléia, Kunstmuseum

O conceito

É muito simples. Transcrevo-o tal e qual, da página da Alêtheia Editores, uma das nossas parceiras no projecto:

«Há por aí gritos presos, palavras entaladas no peito ou na garganta? Alguma dor antiga ou recente que teima em não desaparecer? Retalhos de amores impossíveis, ódios congelados e febris que persistem em assombrar-nos?
Quem carrega afectos nunca assumidos ou injustiças por reparar?
Quem é que sente uma raiva do tamanho do mundo que não tem por onde sair? E uma ternura a transbordar por todos os poros, feita de lágrimas dissimuladas e de silêncios contidos? Quem é que já sabe tudo sobre ‘fogos que ardem sem se ver’ e está mesmo a precisar do corpo da mensagem para dar luz tanta chama?
É tempo de soltar as Elegias do Amor e do Ódio. De se abrirem portas, rasgarem janelas, destaparem alçapões, para descer pelo fio do tempo e ascender por ele. As portas proibidas só são proibidas enquanto não ousarmos abri-las.
Com as nossas próprias chaves.»


Estrutura da Oficina

Três módulos presenciais, duas aulas cada
I – Meu inimigo, minha sombra, meu amor.
II – Vou contar-te como foi.
III – As palavras que sempre te quis dizer.

Ao longo dos três módulos, o objectivo é destacar uma pessoa, uma memória, um registo em suma, através do qual, revisitando circunstâncias particulares, se possa deslocar o eixo do passado para o presente para reescrevermos a nossa história pessoal. Eventualmente, sob a forma de carta onde se soltarão as palavras que ficaram por dizer.
Cada módulo tem a duração de três horas, divididas por duas aulas presenciais.
Os trabalhos produzidos nas Oficinas e em casa são acompanhados, orientados e revistos com propostas de correção a fim de que os participantes possam interiorizar melhor as ferramentas do registo literário.
Preço cada módulo de duas aulas: 40 €/participante.
Para edição completa [por parte da orientadora], dos textos produzidos na presente Oficina pela orientadora, preço para o conjunto: 30 €/participante.

Para saber mais: O método, par e passo.

Contactos: oficinasdescrita@gmail.com ou manuela_gonzaga@yahoo.com

Siga-nos no facebook em Oficinas de Escrita


E tenham muito Boas Palavras!!



Com os apoios de:
Alêtheia Editores
Várzea da Rainha Impressores
Boas Notícias
Blogue Oficinas de Escrita

 
Enviar um comentário