domingo, dezembro 01, 2013

A vida neste canto do universo

O que eu quero é que as minhas palavras abram sulcos no teu rosto pávido e que o meu poema te rasgue as veias até o teu sono se tornar insónia e o teu acordar um brado, um uivo, um lamento e um hino. Só assim poderás entender, amor, o que é a vida neste canto do universo.
 
 
 
Enviar um comentário