terça-feira, fevereiro 24, 2009

«Doida não e não!»

A voz de Maria Adelaide Coelho está de novo a fazer-se ouvir pelo país todo. O DN publicou um artigo da Fernanda Câncio, que na sua «mesa de montagem» mental cruzou a leitura atentíssima do livro com a conversa de quase duas horas que tivemos. Fica um extracto e link para o artigo completo:
"Quis fazer justiça a uma mulher extraordinária" FERNANDA CÂNCIO
«Manuela Gonzaga. Jornalista grande parte da vida, 'passou-se' há nove anos para o lado dos livros. A apaixonante (e apaixonada) história de Maria Adelaide é o seu sétimo livro. Uma biografia apaixonante e apaixonada que revela uma heroína portuguesa A narração desta vida é também a da condição da mulher há cem anos [...]»
http://dn.sapo.pt/2009/02/21/dngente/quis_fazer_justica_a_mulher_extraord.html
Entretanto, ontem, segunda-feira, entrevista à Antena 1, programa de Ana Aranha, «À volta dos livros». Cinco minutos de grande síntese. Gosto muito da forma como ela organiza o tempo, fazendo acontecer tanta coisa em escassos minutos. Amanhã, entrevista com Dina Gusmão, Correio da Manhã. Quinta-feira, no Porto para uma agenda já bem preenchida...
Équase comovente a força desta mulher, Maria Adelaide Coelho, que nasceu no século XIX, em Lisboa, morreu a meio do século XX, no Porto, protagonizando um escandalo de enormes dimensões, e que ainda desperta tanto interesse à sua volta...

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

A capa do meu novo livro

Está finalmente na gráfica o meu novo livro que por volta de dia 20 de Fevereiro vai para as livrarias. Mais um. E de cada vez é mais dificil... Quero dizer, nesta fase em que a sua imaterialidade toma corpo e forma e nos sai das mãos, para ir fazer companhia a milhões de outros tão belos, tao decisivos, tão importantes, tão fundamentais (para quem os escreveu) como o nosso.
Pois é. Em todo o caso, é sempre e também uma alegria. Ele aí está!