sexta-feira, agosto 30, 2013

Fui ao Inferno e gostei muito

A minha colaboração com o sítio mais feliz do ciberespaço -- Boas Noticias -- contina agora sob a forma de crónicas literárias. Dividi esta secção em duas. Uma, dedicada aos clássicos de todos os tempos, «Faróis da minha vida», onde comecei por Moby Dick, uma paixão.

A outra, trata de livros contemporâneos também nos mais diversos registos. São as minhas «Luzes de presença». Comecei por um thriler estupendo, daqueles que não conseguimos largar até à ultima página. O Inferno de Dan Brown.

Um pequeno extracto da crónica:

O mapa do Inferno' (c.1480-c.1495), de Sandro Botticelli, é um dos elementos chave deste novo livro de Dan Brown


«É literatura de diversão, sem dúvida, de modo que não encontramos densidade psicológica nesta montanha-russa onde o tempo conta ao micro segundo, e os bons, à maneira de James Bond mas sem os seus punhos nem os seus artefactos, lutam contra os maus, neste caso liderados pelo bilionário bioquímico suíço chamado Bertrand Zobris, numa acção vertiginosa que decorre em cidades como Florença, Veneza e Istanbul, sob o pano de fundo de cenários extraordinários, quase todos ligados à História de Arte.
 

A trama é ilusoriamente simples como todas as tramas bem congeminadas num thriler que se preze. Um homem tem de salvar o mundo de uma sinistra e maquiavélica congeminação que vai libertar a arma biológica destinada a ceifar vidas, de forma a repor estatisticamente o número de seres humanos num patamar compatível com os recursos do planeta...»
 
Para ler a crónica completa:
Enviar um comentário