quarta-feira, janeiro 01, 2014

A vida é um colar de instantes

Conheço a maldição da memória e a sua bênção.

Na primeira, os instantes somem-se num leito de areia seca, sem deixar rasto nem lastro. É a doença do esquecimento. Na segunda, brilha a luz dos tempos múltiplos. Mas nos seus caminhos solitários ocultam-se caranguejos descomunais, cujas pinças dilaceram as memórias para as tornar mais vivas, mais pungentes, mais esplendorosas. São as armadilhas da saudade.

A vida é um colar de instantes.


Cancer




Enviar um comentário