segunda-feira, dezembro 09, 2013

Agora, a minha mão toca a tua

Meu poema de resposta ao poema que  Jaime Rafael Munguambe Júnior me dedicou:
Flechas rasgam signos de fogo no abraço oceânico de palavras vivas que a minha língua te dá. Danço a música da terra, o pulsar dos seus tambores solta o rio onde o meu sangue se renova. Agora, a minha mão toca a tua.
MG
Enviar um comentário