quinta-feira, agosto 20, 2015

«A Voz do Silêncio»

A agenda eleitoral de campanha (Presidenciais 2016) está a ser preenchida - com vários eventos a caminho. Como somos poucos, e os meios menos ainda, temos de nos organizar à minúcia, sem perder de vista objectivos muito definidos. Ontem foi a muito esclarecedora visita às instalações da sede da APAV, rua José Estêvão em Lisboa, e a intenção de regressar àquela casa. O director, dr. João Lázaro, recebeu-nos, acompanhou-nos e elucidou-nos sobre o que é, a quem se destina e como funciona esta associação fundada em 1990, e destinada a a apoiar as vítimas de crime, suas famílias e amigos, prestando-lhes serviços de reconhecida qualidade, gratuitos e confidenciais.


A instituição tem também nos seus objectivos uma contribuição de reconhecido mérito no sentido de aperfeiçoar politicas públicas, sociais e privadas centradas no estatuto da vítima. Sublinhe-se que, ao dar Voz à Vítima - seja qual for o seu sexo ou respectiva orientação, a sua faixa etária e até a sua nacionalidade - ,  a APAV têm uma acção que ultrapassa largamente os casos mais mediatizados da tristemente célebre violência doméstica. As vítimas de exploração sexual, apanhadas nas malhas do tráfico humano; as crianças abusadas; os imigrantes; os idosos e as idosas vítimas de maus tratos continuados, quer por parte de familiares, ou nos lares; os homens, de que nunca se fala quando se fala em abuso ou violência, mas que também a sofrem em toda a sua extensão ... o campo, infelizmente, é vasto.

Em breve iremos visitar mais centros desta instituição exemplar. E, pela minha parte, ofereci-me à APAV para ir orientar ali uma das minhas Oficinas de Escrita.  A data será agendada em breve.


Enviar um comentário